Uma acusação bastante comum feita contra a Bíblia nos círculos céticos é que ela ensina uma “Terra plana” e contém outros dados cosmológicos/naturais primitivos como um céu sólido, cupulado. Aqui vamos estudar alguns dos versículos mais debatidos nesta questão.

Vamos começar com um pouco de base. Deve-se entender que ao hebraico, como todas as culturas antigas, faltava a terminologia científica que nós usamos hoje para descrever as coisas. Não deveríamos esperar encontrar descrições de “placas” tectônicas ou de “lava” fundida. Assim, veremos que ao hebraico faltava palavras- chaves que teriam sido muito úteis para descrever fenômenos cosmológicos.

Além disso, não utilizaremos certas palavras e versículos que usam uma linguagem “fenomenológica” – i.e., pôr-do-sol, amanhecer, ou referências para nascer do sol e movimento das estrelas. Como ainda usamos estas palavras hoje, apesar de centenas de anos de “saber melhor”, não deveríamos refletir mal sobre o uso dessa linguagem na Bíblia.

Agora para os versículos em questão. Nós usaremos a Almeida na maior parte de nosso estudo aqui, já que é a versão mais usada pelos céticos nesta arena.

Uma Extensão Divina sobre a Terra Plana

Algumas descrições do céu na Bíblia mostram aos céticos que havia algum tipo de massa sólida. Eu lidei com muitas destas citações em um artigo escrito para o Creation Ex Nihilo Technical Journal; vamos ver:

Jr. 10:12 – O SENHOR fez a terra pelo seu poder; estabeleceu o mundo por sua sabedoria e com a sua inteligência estendeu os céus.

(Nota – “mundo” aqui em hebraico é tebel – veja abaixo.)

Is. 40:22 – Ele é o que está assentado sobre a redondeza da terra, cujos moradores são como gafanhotos; é ele quem estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para neles habitar…

Estes versículos dizem que há uma cúpula de algum tipo? De fato, não é possível determinar de uma maneira ou de outra, pois o hebraico (como muitas culturas desta época) não tinha uma palavra-conceito para espaço físico infinito. Com isso em mente, poderíamos imaginar como eles descreveriam o céu existente e a metáfora seria a melhor escolha. Pensaríamos que o céu é como um “espaço estirado”, uma expressão que se aproxima bastante do conceito de um espaco “infinito”. Mas há mais afirmação menos ambígua sobre o céu? Alguns versículos como estes:

Sl.150:1 – Aleluia! Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento, obra do seu poder

A palavra aqui para “firmamento” é:

7549. raqiya’, raw-kee’-ah; de H7554; prop. uma expansão, i.e. o firmamento ou (aparentemente) arco visível do céu:–firmamento.

Porém, há indicações que este raqyia não é uma a estrutura sólida que “firmamento” implica; veja o artigo acima. [N. do T.: o comentário Clarke diz: (louvai-o no firmamento, obra se seu poder) Pela expansão inteira, para os limites extremos de seu poder. Como rakia é o firmamento da vasta expansão que cerca o globo, e provavelmente, onde estão incluídos os corpos celestiais do sistema solar, pode ser o significado aqui. O louvor de quem poder e bondade estende-se por todos os mundos; e deixa os habitantes de todos esses mundos participarem do coro principal, que pode ser universal”]

Planeta circular e a Terra Plana

Is. 40:22 – Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são como gafanhotos; é ele quem estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para neles habitar…

Jó 26:10 – Traçou um círculo à superfície das águas, até aos confins da luz e das trevas.

Pv. 8.27 – Quando ele preparava os céus, aí estava eu; quando traçava o círculo sobre a face do abismo;

Os céticos irão dizer que versículos ensinam um conceito de uma Terra plana, circular, igual uma panqueca. Em cada caso, a palavra hebraica para círculo é exatamente a mesma, como diz o dicionário Strong:

2329. chuwg, khoog,; de H2328; um círculo:–círculo, circuito, compasso.

E aqui é onde nós alertamos o leitor para outra palavra-conceito chave que falta no hebraico: não havia nenhuma palavra variada para uma “esfera” – um círculo tridimensional. Não que ao hebraico ou qualquer outra língua faltasse o conceito de esfericidade (pois obviamente, eles poderiam ver isto quando, por exemplo, eles comiam romãs no café da manhã!), mas eles simplesmente não criaram uma segunda palavra para isto.

Alguns podem citar em resposta Is. 22:18: “enrolar-te-á num invólucro e te fará rolar como uma bola para terra espaçosa; ali morrerás, e ali acabarão os carros da tua glória, ó tu, vergonha da casa do teu senhor”. A palavra hebraica aqui, porém, é:

1754. duwr, dure,; de H1752; um círculo, bola:–bola, volta, redondo.

Esta palavra não dá mais indício de esfericidade que nossa outra palavra, porque em outro versículo, Isaías a usa diferente:

Is. 29:3 – Acamparei ao derredor de ti, cercar-te-ei com baluartes e levantarei tranqueiras contra ti.

Obviamente, os soldados não puderam acampar na forma de uma esfera ao redor da cidade! Baseado nisto e outros usos, esta palavra parece estar dizendo um padrão circular em vez de dar referência a uma determinada forma. [N. do T.: A Bíblia de Jerusalém diz bem claro: “Eu te sitiarei como um círculo” e a Vulgata: “estabelecerei ao redor de ti um como um círculo fechado”]

“Confins” da Terra na Terra Plana

 

Sl. 22.27 – Lembrar-se-ão do SENHOR e a ele se converterão os confins da terra; perante ele se prostrarão todas as famílias das nações

Sl. 59.13 – Consome-os com indignação, consome-os, de sorte que jamais existam e se saiba que reina Deus em Jacó, até aos confins da terra.

Sl. 19. 4-6 – no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo. Aí, pôs uma tenda para o sol, o qual, como noivo que sai dos seus aposentos, se regozija como herói, a percorrer o seu caminho. Principia numa extremidade dos céus, e até à outra vai o seu percurso; e nada refoge ao seu calor.

Jó 28.24 – Porque ele perscruta até as extremidades da terra, vê tudo o que há debaixo dos céus.

Dt. 28.64-65 – O SENHOR vos espalhará entre todos os povos, de uma até à outra extremidade da terra. Servirás ali a outros deuses que não conheceste, nem tu, nem teus pais; servirás à madeira e à pedra. Nem ainda entre estas nações descansarás, nem a planta de teu pé terá repouso, porquanto o SENHOR ali te dará coração tremente, olhos mortiços e desmaio de alma.

Em cada um destes, alguns dizem, o autor está pensando nos cantos de uma Terra plana. Vamos analisar as palavras chaves usadas nestes versículos.

A palavra usada para “confins” é:

7097. qatseh, kaw-tseh ‘; ou (neg. só) qetseh, kay’-tseh; de H7096; uma extremidade (usada em grande variedade de aplicações e linguagens; comp. H7093):–X depois de, limite, encher até a borda, beira, fim, [em -] finito, fronteira, costa, quarto, aporte, (fora -) lado, X alguns, ut (-ter -) a maior (parte).

Esta palavra tem muito uso no AT. Pode significar o fim de um período de tempo, ou de uma ação. Mas vamos ver no sentido geográfico.

Gn. 23:9 – para que ele me dê a caverna de Macpela, que tem no extremo do seu campo; que ma dê pelo devido preço em posse de sepultura entre vós.

Gn. 47:21 Quanto ao povo, ele o escravizou de uma a outra extremidade da terra do Egito. (Nota: “extremidade” aqui é outra palavra hebraica, gebuwl.)

Ex. 25:18-9 – Farás dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório; um querubim, na extremidade de uma parte, e o outro, na extremidade da outra parte; de uma só peça com o propiciatório fareis os querubins nas duas extremidades dele.

Js. 15:5 – O limite, porém, para o oriente será o mar Salgado, até à foz do Jordão; e o limite para o norte será da baía do mar, começando com a embocadura do Jordão,

1 Sm. 9:27 – Desciam eles para a extremidade da cidade, quando Samuel disse a Saul: Dize ao moço que passe adiante de nós, e tu, tendo ele passado, espera, que te farei saber a palavra de Deus.

Outra palavra usada para “confins” é esta aqui:

657. ‘ ephec, eh’-fes; de H656; cessação, fim, finalidade

Esta palavra é normalmente traduzida como “porém” – como neste versículo:

Nm. 13:28 – O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso, e as cidades, mui grandes e fortificadas; também vimos ali os filhos de Anaque.

Assim temos uma palavra bastante forte aqui, que parece favorecer a posição cética. Mas agora vamos ver as palavras que saem como “Terra”. A primeira é uma que teremos causa para nos referirmos:

776. ‘ erets, eh’-rets; de uma raiz desaparecida provavelmente significando firmar; a Terra (a grande, ou parte da terra):–X comum, país, Terra, campo, base, terra, X nações, caminho, + deserto, mundo.

Esta é a palavra indicada para “Terra” em Gênesis 1:1 e em partes de Gênesis que sobre a criação e o Dilúvio. Assim, temos um Terra com extremidades? A resposta é, não necessariamente. A palavra é usada mais de 2500 vezes no AT, e também é usada para indicar um espaço limitado, como nestes exemplos:

Gn. 12.10 – Havia fome naquela terra; desceu, pois, Abrão ao Egito, para aí ficar, porquanto era grande a fome na terra.

Gn. 13.7 – Houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló. Nesse tempo os cananeus e os ferezeus habitavam essa terra.

Gn. 20:15 – Disse Abimeleque: A minha terra está diante de ti; habita onde melhor te parecer.

Gn. 42:33 – Respondeu-nos o homem, o senhor da terra: Nisto conhecerei que sois homens honestos: deixai comigo um de vossos irmãos, tomai o cereal para remediar a fome de vossas casas e parti;

1 Sm. 29:11 – Então, Davi de madrugada se levantou, ele e os seus homens, para partirem e voltarem à terra dos filisteus. Os filisteus, porém, subiram a Jezreel.

2 Sm. 24:6 – Daqui foram a Gileade e chegaram até Cades, na terra dos heteus; seguiram a Dã-Jaã e viraram-se para Sidom;

Assim, o que pode ser dito aqui? Quaisquer um dos versículos originais citados que se refere às “extremidades” da “Terra” está indicando uma Terra plana com extremidades? Poderiam estar dizendo – como poderiam não estar. O Sl. 22:27, por exemplo: “Lembrar-se-ão do SENHOR e a ele se converterão os confins da terra; perante ele se prostrarão todas as famílias das nações”. Esta é uma referência aos povos e não à geografia; as extremidades da Terra não poderiam se “converter”! Jó 28:24 diz: “Porque ele perscruta até as extremidades da terra, vê tudo o que há debaixo dos céus” – que poderia parecer como um problema, até nós vermos o contexto do versículo:

O abismo e a morte dizem: Ouvimos com os nossos ouvidos a sua fama. Deus lhe entende o caminho, e ele é quem sabe o seu lugar. Porque ele perscruta até as extremidades da terra, vê tudo o que há debaixo dos céus. Quando regulou o peso do vento e fixou a medida das águas; quando determinou leis para a chuva e caminho para o relâmpago dos trovões, então, viu ele a sabedoria e a manifestou; estabeleceu-a e também a esquadrinhou.

Isto é poesia – não um tratado científico. Veja o cenário: não podemos afirmar que aqui se fala de uma Terra plana, em quaisquer destes versículos. Teríamos que entrar nas mentes dos escritores para saber com certeza que eles estava tentando descrever uma Terra plana. Poderíamos dizer que: 1) nós ainda usamos a frase “extremidades da terra” hoje – de forma que nós só possamos criticar o uso da frase na Bíblia!; 2) Esta última frase, de qualquer modo, é uma citação de Jó – e neste caso, podemos ver simplesmente no que ele acredita!)

Agora há uma segunda palavra que é traduzida como “Terra” em alguns lugares–mas só acontece 38 vezes no OT:

8398. tebel’; de H2986; a Terra (como úmido e então habitado); por extensão: o globo; por inplicação: seus habitantes; parte do mundo habitada.

Ela particularmente é usada no versículo de Salmos, e aqui:

1 Sm. 2:8 – Levanta o pobre do pó e, desde o monturo, exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são as colunas da terra, e assentou sobre elas o mundo.

Esta segunda palavra se refere aos povos da Terra e não a um tipo de referência geográfica. A compreensão correta deste versículo mostra que el não pode ser usado para falar que de uma Terra plana.

Longo/largo na Terra Plana

Eis um versículo digno de análise crítica:

Jó 11:9 – A sua medida é mais longa do que a terra e mais larga do que o mar.

Alguns usam este versículo para dizer que a Bíblia mostra uma Terra mensurável com “tamanho” – mas “Terra” aqui é a velha palavra ‘erets’, e levando em conta o fato que um corpo mensurável como o “mar” aqui seja usado, ‘erets’ também não se refere ao globo.

Terra “estendida” na Terra Plana

Is. 42:5 – Assim diz Deus, o SENHOR, que criou os céus e os estendeu, estendeu a terra e a tudo quanto produz; que dá fôlego de vida ao povo que nela está e o espírito aos que andam nela.

A palavra “estendeu” aqui é usada pelos céticos para significar uma Terra plana. Mas vejamos: também diz que Deus “expandiu” outras coisas da Terra – i.e., as plantas e animais. Isto significa que as plantas e animais são planos, também? Obviamente não. A palavra aqui (raqa’ – relacionada à palavra usada para o céu, acima) então indica formação criativa, não a forma da Terra.

Viagem ao “centro” da Terra, Terra Plana

Ez. 5:5 – Assim diz o SENHOR Deus: Esta é Jerusalém; pu-la no meio das nações e terras que estão ao redor dela.

Alguns citarão este versículo que é traduzido em algumas versões como dizendo que Jerusalém está no “centro” do Terra – para afirmar sua idéia que a Bíblia ensina uma Terra plana. Mas estas traduções tem alguns problemas. A palavra aqui para “meio” é:

432. tavek: de uma nova raiz que significa cortar. AV-meio 209, entre 140, dentro de 20, meio 7, em 6, entre 3 por 2, em 2, misc 23; 415

1) meio, meio,
1a) meio, meio,
1b) em, por (depois dos verbos de movimento)
1c) entre (várias pessoas)
1d) entre (coisas organizadas aos pares)
1e) entre (objetos juntos ou separados etc)

“terras” é a palavra “erets” de novo. “Nações” é:

471. gowy: AV-nação 374, pagão 143, gentios 30, pessoas 11,; 558

1) nação, pessoas,
1a) nação, pessoas,
1a1) normalmente os não-hebreus
1a2) de descendentes de Abraão
1a3) de Israel
1b) de enxame de gafanhotos, outros animais (fig.)

1c) Goyim? = “nações”

Finalmente, a palavra “ao redor” é:

439. cabiyb: subst.
1) colocar em volta, circuito, redondo sobre
adv.
2) em um circuito, um circuito, redondo
prep.
3) no circuito, de todo lado

O caso aqui parece ser mais político e religioso que geográfico, especialmente depois de vermos que o livro de Ezequiel condena o povo de Israel por adotar as práticas das “terras” (‘erets’) em volta deles. (Assim algumas traduções dirão agora que Jerusalém é “muito importante” em vez de usar palavras que indicam uma conotação geográfica.) [N. do T.: Interessante é a explicação do Adam Clarke’s Commentary on the Bible:: “‘Esta é Jerusalém: pu-la no meio do nações’ eu a fiz a mais eminente e a mais ilustre do mundo. Alguns acham que estas palavras se referem a uma situação geográfica, como se ela fosse o centro do mundo. Mas qualquer ponto em um globo é seu centro, não importa onde seja colocado; e não seria difícil mostrar que mesmo no sentido literal seria correto. Mas o ponto que é o centro da maior parte de terra que pode ser exibida em um hemisfério é a capital do império britânico”]

Cantos da Terra na Terra Plana

Para esta objeção iremos cruzar os Testamentos. Comecemos com o AT:

Is. 11:12 Levantará um estandarte para as nações, ajuntará os desterrados de Israel e os dispersos de Judá recolherá desde os quatro cantos da terra.

Alguns citarão isto como evidência de uma Terra QUADRADA – que é pouco estranho, já que os escritores bíblicos estavam com uma Terra CIRCULAR em mente! Mas olhemos esta palavra “cantos”:

03671 – kanaph: de 03670; TWOT-1003a; n f

1) asa, extremidade, borda, aves, limite, canto, camisa,
1a) asa
1b) extremidade
1b1) saia, canto (de artigo de vestuário)

Terra é a nossa palavra familiar ‘erets’ e a mesma questão se aplica acima. Mas e “kanaph”? Indica pontos cardeais: veja como aparece aqui:

Gn. 1:21 – Criou, pois, Deus os grandes animais marinhos e todos os seres viventes que rastejam, os quais povoavam as águas, segundo as suas espécies; e todas as aves, segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom.

Ex. 19:4 – Tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águia e vos cheguei a mim.

A palavra também pode se referir a roupas:

1 Sm. 15:27 – Virando-se Samuel para se ir, Saul o segurou pela orla do manto, e este se rasgou.

…e em alguns lugares, é traduzida como “confins”. Mas a referência de “quatro” kanaph, e a aplicação para asas (de pássaros, querubins, etc.), junto com referência para as nações de onde os israelitas estavam retornando (Is. 11:11), exegeticamente mostra que esta palavra indica pontos cardeais.

Deveríamos falar de uma exceção – porém – como a que notou meu amigo Kornform:

Jó 38:12-3 Acaso, desde que começaram os teus dias, deste ordem à madrugada ou fizeste a alva saber o seu lugar, para que se apegasse a extremidade (kanaph) da terra, e desta fossem os perversos sacudidos?

Porém, Terra é a velha palavra ‘erets’ – assim, ninguém pode dizer se está significando um sentido global aqui. (Mesmo assim, é metafórico: ninguém vai pensar que isto sugere que a própria luz apanhou a Terra e a chacoalhou como uma toalha! Podemos sugerir que a “extremidade” aqui pudesse se referir à linha divisória artificial entre noite e dia.)

Mas agora, uma citação do NT:

Ap. 7:1 Depois disto, vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma.

Mias uma vez, é provável que estejamos lidando com pontos cardeais, devido à referência para os ventos. A palavra aqui é:

137. gonia: prob. ligada a G1119; um ângulo:–canto, quarto.

Esta palavra só é usada 9 vezes no NT, e se refere, por exemplo, para esquinas (Mt. 6:5) e para bases (Mc. 12:10). Mas no contexto, a referência para os “quatro ventos”, apoia a idéia de pontos cardeais. [N. do T.: Interessante é a nota de Barnes aqui: “em pé nos quatro cantos da terra. Esta linguagem, é claro, é conforme ao modo que os hebreus se expressavam sobre a Terra. Era um método comum entre eles descrevê-la como uma vasta planície, tendo quatro cantos, que são os pontos cardeais— norte, sul, leste e oeste. Assim como nós falamos dos quatro ventos, os quatro cantos do mundo, etc. O hebraico falava da Terra, como fazemos ao ver como o sol se move, dos movimentos dos corpos celestes, de acordo com seu aparecimento, e sem apontar a exatidão filosófica. Compare Barnes em “Jó 26:7”. Com esta idéia, eles falavam da Terra como uma planície estendida, e como tendo limites ou cantos, como uma planície ou campo naturalmente tem . Talvez eles usassem esta linguagem para uma construção, como tendo quatro cantos; porque eles também falam do Terra como tendo fundações. A linguagem que o hebraico usou era conforme as idéias e linguagem da época]. (E uma vez mais, esta é uma frase que nós AINDA usamos, assim não podemos ser críticos!)

Colunas e fundações da Terra Plana

Há algumas palavras que indicam aos céticos que a Terra está apoiada por colunas. Vamos ver:

Sl. 104.5 – Lançaste os fundamentos da terra, para que ela não vacile em tempo nenhum.

IISm. 22.16 – Então, se viu o leito das águas, e se descobriram os fundamentos do mundo, pela repreensão do SENHOR, pelo iroso resfolgar das suas narinas.

Jó 38.4 – Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? Dize-mo, se tens entendimento.

Zc. 12.1 – Sentença pronunciada pelo SENHOR contra Israel. Fala o SENHOR, o que estendeu o céu, fundou a terra e formou o espírito do homem dentro dele.

Selecionamos estes versículos como amostras, porque eles abrangem todas as palavras usadas para “fundações” em referência para a Terra. Agora vejamos cada palavra no hebraico.

O Sl. 104:9 usa esta palavra:

349. makown, maw-kone ‘; de H3559; suporte. instalação, i.e. uma base; gen. um lugar, especilamente como uma abóbada:–fundação, habitação, (moradia -, lugar povoado).

Esta palavra, usada só 17 vezes no AT, tem o sentido de um lugar vivo ou “casa”. Por exemplo:

Sl. 33:14 – do lugar de sua morada, observa todos os moradores da terra,

Isto não tem nada a ver com fundações do mundo. Agora, IISm. 22:16 usa:

4146. mowcadah; fem. de H4144; uma fundação:–fundação.

Esta palavra aparece só 13 vezes no AT. Aqui é usada como em lugares onde a Terra (ou céu) não são mencionados:

Dt. 32.22 – Porque um fogo se acendeu no meu furor e arderá até ao mais profundo do inferno, consumirá a terra e suas messes e abrasará os fundamentos dos montes.

Sl. 18:7 – Então, a terra se abalou e tremeu, vacilaram também os fundamentos dos montes e se estremeceram, porque ele se indignou.

Is. 58:12 – Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país se torne habitável.

Jr. 51:26 – De ti não se tirarão pedras, nem para o ângulo nem para fundamentos, porque te tornarás em desolação perpétua, diz o SENHOR.

Aqui temos uma certa mistura. Parece ahver menção de alguma coisa física, obviamente, mas ambém não temos nada que parece indicar como este mowcadah age como uma “fundação” para os artigos em questão. (A propósito, “terra”, neste versículos, ás vezes é ‘erets’, às vezes é tebel!)

Jó 38:4 usa:

245. yacad: 1) fundar, fixar, estabelecer, fundação secular
1a) (Qal) fundar, estabelecer, começar
1b) (Niphal)
1b1) fixar ou construir junto, em conclave
1b2) ser fundado
1c) (Piel)
1c1) fundar
1c2) estabelecer, designar, ordenar
1d) (Pual) ser fundado, ser posto
1e) (Hophal) ser fundado

Esta palavra parece propensa à idéia de “fundação” em um sentido de “começo” abstrato e um sentido de uma “construção física. Veja como é usada em:

Ex. 9:18 – Eis que amanhã, por este tempo, farei cair mui grave chuva de pedras, como nunca houve no Egito, desde o dia em que foi fundado até hoje.

Js. 6:26 – Naquele tempo, Josué fez o povo jurar e dizer: Maldito diante do SENHOR seja o homem que se levantar e reedificar esta cidade de Jericó; com a perda do seu primogênito lhe porá os fundamentos e, à custa do mais novo, as portas.

IRe. 5:17 Mandou o rei que trouxessem pedras grandes, e pedras preciosas, e pedras lavradas para fundarem a casa.

ICr. 9:22 – todos estes, escolhidos para guardas das portas, foram duzentos e doze. Estes foram registrados pelas suas genealogias nas suas respectivas aldeias; e Davi e Samuel, o vidente, os constituíram cada um no seu cargo.

Também aqui, podemos ver uma idéia “física” é possível – mas não necessária. Finalmente, vamos ler a palavra de Zacarias:

3248. yecuwdah: fem. de H3246; uma fundação:–fundação.

Esta palavra estranha aparece só 5 vezes no AT, 3 vezes em Zacarias. Aqui está outra citação:

Sl. 87:1 – Salmo ou Cântico para os filhos de Coré. Fundada por ele sobre os montes santos,

Is. 28:16 – Portanto, assim diz o SENHOR Deus: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, pedra já provada, pedra preciosa, angular, solidamente assentada (muwcad!); aquele que crer não foge.

Zc. 4:9 – As mãos de Zorobabel lançaram os fundamentos desta casa, elas mesmas a acabarão, para que saibais que o SENHOR dos Exércitos é quem me enviou a vós outros. (Zc. 8:9 é semelhante)

Provavelmente não há muita para falar. A palavra escolhida por Zacarias em 12:1 pode ter sido influenciada pelos usos paralelos em seu livro dele em vez de dizer de qualquer forma a estrutura da Terra. Linha de fundo: Estas palavras não oferecem nenhuma prova necessária – muito menos detalhe – para afirmar a idéia de uma Terra imóvel.

Mas e a outra palavra, “pilares”? Na maioria dos casos aonde se fala de “pilar” ou “colunas” (como em um edifício) veremos duas palavras: matstebah ou ammuwd. Este É usada por Jó em referência para “pilaras” do Terra e do céu (9:6, 26:11) – mas note o contexto dos versículos:

Jó 9:5-10 – Ele é quem remove os montes, sem que saibam que ele na sua ira os transtorna; quem move a terra para fora do seu lugar, cujas colunas estremecem; quem fala ao sol, e este não sai, e sela as estrelas; quem sozinho estende os céus e anda sobre os altos do mar; quem fez a Ursa, o Órion, o Sete-estrelo e as recâmaras do Sul; quem faz grandes coisas, que se não podem esquadrinhar, e maravilhas tais, que se não podem contar.

Jó 26:11 – As colunas do céu tremem e se espantam da sua ameaça.

Em ambos os casos, estamos lidando com uma situação cheia de elementos poéticos (os pilares que podem se “espantar”?) e nos faz ler o texto não muito literalmente. (Veja o Sl. 75:3.) Isso deixa um versículo, ISm. 2:8 –

Levanta o pobre do pó e, desde o monturo, exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são as colunas da terra, e assentou sobre elas o mundo.

“Colunas” aqui é outra palavra:

4690. matsuwq, or matsuq: de H6693; suporte, coluna, pilar.

E é usada só DUAS VEZES no AT. A outra é em ISm. 14.5:

Uma delas se erguia ao norte, defronte de Micmás; a outra, ao sul, defronte de Geba.

Aqui, pelo visto, não há indicação de colunas reais (veja nota para este versíuclo acima). Os dados são insuficientes para se fazer uma avaliação. Fazia parte de uma oração da mãe de Eli!

Conspiração global da Terra Plana

Sl. 103:12 – Quanto dista o Oriente do Ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões.

Um ponto secundário neste versículo – às vezes os céticos dizem que ele mostra que a Terra é plana, pois em um globo, o oriente encontra o ocidente. Os termos hebraicos – mazrach e ma’arab – é equivalente a dizer “o nascimento” e “o ocaso”, da mesma forma como falamos de o “nascer” e “pôr-do-sol”. Obviamente, ainda falamos desta forma ainda hoje e por isto este versículo não pode ser criticado na mesma base. Mesmo assim, é um pouco enganador afirmar que conceitos abstratos como “oriente” e “ocidente ” são como objetos físicos que podem se encontrar ao redor de um globo! [N. do T.: este versículo expressa exatamente o contrário do que os céticos querem dizer. O Comentário Clarke diz: “como o oriente e o ocidente nunca podem se encontrar em um ponto, mas estão sempre a mesma
distância um do outro, assim nossos pecados e o castigo decretado a eles
são removidos a uma distância eterna pela clemência de Deus”]. Alguém poderia dizer que que eles poderiam correr infinitamente em volta do globo já que eles não em nada para correr!

Como nota lateral, deveríamos ver o versículo anterior:

Sl. 103:11 – pois quanto o céu se alteia acima da terra, assim é grande a sua misericórdia para com os que o temem.

Isto é como um paralelo ao próximo versículo; e como a idéia que o salmista parece estar falando que a misericórida e perdão de Deus são INFINITOS, parece falar de uma distância infinita ao longo do Terra – que se aplicaria tanto a um globo OU uma Terra plana (afinal de contas, oriente e ocidente não acabam na borda) – e para um céu infinitamente alto…

Finalmente, notemos esta passagem:

Mt. 4:8 – Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles

Este versículo em Mateus de maneira alguma fala de uma Terra plana, nem uma montanha monstruosa grande o bastante para ver a Terra. Na realidade, eu sempre pensei que a viagem para a montanha fosse uma viagem psicológica por Satanás, e que a exibição dos reinos foi feita por meio de imagens de algum tipo, como em uma tela de computador! Na realidade, isto é sugerido pelo versículo paralelo em Lc. 4:5

E, elevando-o, mostrou-lhe, num momento, todos os reinos do mundo.

Porém, como qualquer um que escalou montanhas sabe – e o escritor de Mateus sabia, se ele vivesse na área ao redor de Judéia, como Mateus – quanto mais lato você subisse, mas as coisas abaixo ficariam menores. Assim, parece improvavel que (mesmo que Mateus acrditasse que a Terra era plana) a oferta de Mateus não é compatível com um globo. Veja que mesmo em uma Terra plano, uma alta montanha seria um lugar muito inadequado para observar os reinos do mundo “e a glória deles”. Além disso, se Mateus estivesse falando dessa montanha, então obviamente, a montanha seria visível de todas as partes do mundo, e o leitor de Mateus rolaria sobre rir e lançaria oseu livro no lixo! É absurdo sugerir que Mateus acreditou que uma montanha assim existiu. (A montanha em questão provavelmente foi o Mt. da Quarentena, não longe do local onde João provavelmente batizou. Tem uma vista incrível do vale do Jordão.)

Mt. 24:30 – Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e muita glória.

Ap. 1:7 Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Certamente. Amém!

O comentário Clarke diz: “Mt. 4.8 – Um monte muito alto. Se o “todos os reinos do mundo” for tomado no literal, então deve ter sido uma representação visionária, pois mesmo da montanha mais alta na face do globo não é possível ver tudo.

Mas se nós entendermos que ‘mundo’ significam a terra da Judéia e
algumas das nações vizinhas, como às vezes parece ser o que os evangelistas queriam dizer (veja em Lc. 2:1,) então o monte descrito pelo abade Mariti (no livro Viagem a Chipre) Falando desta viagem, ele diz: ‘aqui temos uma vista maravilhosa. Desta parte do monte é possível avistar as montanhas de Arábia, o país de Gilead, o país dos amoritas, as planícies de Moab, as planícies de Jericó, o rio Jordão, e toda a extensão do Mar Morto. Foi aqui que o diabo disse ao Filho de Deus: ‘Tudo isto te darei, se prostrado, me adorares’. Provavelmente, S. Mateus, no original hebraico, escreveu ‘haarets’, que significa o mundo, a Terra, e freqüentemente a terra da Judéia. O que torna esta leitura mais provável é que a Judéia, na época, foi dividida em vários reinos, ou governos, sob os três filhos de Herodes, o Grande: Arquelau, Antipas, e Filipe, que não só são chamados de etnarcas e tetrarcas nos Evangelhos, mas também de ‘basileus’, reis. Veja Mt 2:22; 14:9.”

Altura do céu na Terra Plana

Agora há alguns versículos que alguns dizem que mostram um céu ou uma abóbada endurecida, da mesma forma como estudamos acima. Vamos ver alguns no NT:

Ap. 6:13 – as estrelas do céu caíram pela terra, como a figueira, quando abalada por vento forte, deixa cair os seus figos verdes,

Mt. 24:29 – logo em seguida à tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento, e os poderes dos céus serão abalados.

Em cada caso, os versículos parecem dar a idéia de uma abóbada no céu onde as estrelas estão fixas, só esperando para cair. Mas isto não responde pelo fato que a palavra grega, áster, foi usada para se referir a qualquer objeto com o aparecimento de uma estrela, inclusive meteoros – um anacronismo que mesmo hoje usamos na expressão “estrela cadente”.

Ao mesmo tempo, os céticos dizem que estes versículos falam que os céus serão “abalados”, o que mostraria que há uma abóbada no céu. Mas veja o grego:

531. saleuo – de G4535; oscilar, i.e. agitar, balançar, tombar ou (através de impl.) destruir; fig. perturbar, incitar:–mover, tremor (junto) que pode [-não] sido tremido, incitar.

Esta palavra é usada para objetos físicos que são abalados, mas também é usada de objetos intangíveis:

Lc. 21.26 – haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo; pois os poderes dos céus serão abalados.

At. 2:25 – Porque a respeito dele diz Davi: Diante de mim via sempre o Senhor, porque está à minha direita, para que eu não seja abalado.

2 Ts. 2:2 – a que não vos demovais da vossa mente, com facilidade, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como se procedesse de nós, supondo tenha chegado o Dia do Senhor.

Assim, é bastante possível ler este versículo em Apocalipse em termos de “transtornado” em vez de “tremido” em um sentido físico.

Também há alguns versículos no AT que são usados para isto. 2 Sm. 22:8 diz: “Então, a terra se abalou e tremeu, vacilaram também os fundamentos dos céus e se estremeceram, porque ele se indignou.”.Soa bem ruim, até você ler os versículos seguintes: “Das suas narinas, subiu fumaça, e, da sua boca, fogo devorador; dele saíram carvões, em chama. Baixou ele os céus, e desceu, e teve sob os pés densa escuridão.Cavalgava um querubim e voou; e foi visto sobre as asas do vento.” E assim por diante – é tudo poético, não literal. Jl. 2:10 diz, “Diante deles, treme a terra, e os céus se abalam; o sol e a lua se escurecem, e as estrelas retiram o seu resplendor”. Mas a palavra hebraica palavra aqui é importante:

7493. ra’ash: de uma raiz primitiva; ondular (como a Terra, a céu, etc.; também um campo de grão), partic. por medo; spec. pular (como um gafanhoto):–ficar com medo (ré -) mover, tremer, (fazer) tremor.

Também pode significar “campo de grãos”. Este é o tipo de palavra que poderia ser usada para descrever um fenômeno visual como uma chuva de meteoros – não necessariamente uma abóboda celestial. Finalmente, Is.13:13 diz: “Portanto, farei estremecer os céus; e a terra será sacudida do seu lugar, por causa da ira do SENHOR dos Exércitos e por causa do dia do seu ardente furor”. Mas esta é outra palavra hebraica sem conotações físicas:

07264 ragaz: de uma raiz primitiva; TWOT-2112; v

1) tremor, estremecer, ira, vibrar, agitar, excitar, perturbar
1a) (Qal) tremer, inquietar, excitar, perturbar
1b) (Hiphil) estremecer, inquietar, enfurecer, perturbar
1c) (Hithpael) excitar a si mesmo

A referência, então, falando de Deus, é mais provável que se refira a uma sensação de medo que um tremor literal de uma abóboda sólida.

Jó 37:18 diz: “Ou estendeste com ele o firmamento, que é sólido como espelho fundido?” (tecnicamente, este versículo falado por Eliú não seria um problema, mas vamos falar dele). Shachaq uma palavra incomum que só aparece 25 vezes no AT, principalmente em Jó e Salmos, e parece um sinônimo de raqia. Também é usada para as nuvens em Is. 45:8. Finalmente, é mais ligada a Dt. 28:23: “Os teus céus sobre a tua cabeça serão de bronze; e a terra debaixo de ti será de ferro”. Este versículo se refere a seca, não solidez.

Gn. 11:4 – Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope possa alcançar aos céus e tornemos célebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra.

Este versículo já foi muito popular entre os críticos, mas hoje não é mais. As palavras “possa alcançar” é uma inserção da KJV. Agora sabemos que o versículo queria dizer que a torre seria dedicada ao céu, não construída par alcançá-lo. É lógico que, mesmo se tivesse outro significado, só mostra o que os homens “disseram” na ocasião–não que eles tinham razão sobre o que eles disseram.

Vamos ver outra passagem sugerida por um leitor, cheia de elementos positivos:

Jó 26:7-10 – Ele estende o norte sobre o vazio e faz pairar a terra sobre o nada.
Prende as águas em densas nuvens, e as nuvens não se rasgam debaixo delas.
Encobre a face do seu trono e sobre ele estende a sua nuvem.
Traçou um círculo à superfície das águas, até aos confins da luz e das trevas.

26:7 se aproxima mais da atração gravitacional do que de uma infinita pilha de tartarugas! 26:8 fala dos vapores d’água que compõe as nuvens. O trono significa a lua e aqui fala de um eclipse. 26:10, o limite entre a noite e o dia em uma Terra esférica iluminada pelo Sol deve ser um círculo. Na época que o livro de Jó foi escrito, não havia a teoria da gravidade, nem conhecimento de uma Terra esférico, e nenhum conhecimento de vapor de água. Como o escritor sabia?

O comentário James, Fausset and Brown, diz: “Jo. 26.7 sugere a verdadeira teoria do Terra. A menção da suspensão no espaço vazio etá na segunda parte do versículo. O norte é descrito no primeiro, acreditado que sendo a parte mais alta do Terra (Is. 14:13). O hemisfério norte ou a abóbada do céu são mencionadas; freqüentemente comparado a um pavilhão estendido (Sl. 104:2). As câmaras do sul são mencionadas (Jó 9:9), quer dizer, o hemisfério sul, consistentee com a forma globular da Terra”.

Conclusão

Devemos admitir que ALGUNS dos artigos desta lista poderiam ser interpretados como uma falsa cosmologia – mas também é possível os interpretar de outras maneiras. A Bíblia falta particulares neste ponto (i.e., distâncias precisas e descrições – como descrito pelos pagãos), e assim fica a questão: “a Bíblia ensina falsa cosmologia?” muito ambígua em algumas partes. Mas para a maioria das citações que nós vimos, não há nenhuma ambigüidade, somente má interpretação trocando poesia por literal pelos céticos. Estamos certos em nossa afirmação que não há nenhuma prova que a Bíblia ensina uma falsa cosmologia.

Leave a Reply

Saudações Terraplanitas!

Se você gostou do nosso portal, não deixe de enviar a sua mensagem!